• espaco horizonte

Afrodisias, a cidade dedicada à Deusa do Amor


Ruínas do templo de Afrodite


Terra de mistérios, sabores e cheiros, a Turquia surpreende a todo o viajante desavisado, que como eu, pensava tão somente em Istambul, Capadócia e figos secos. E não sei ao certo, se foi pelo fato deste pensamento exíguo, (do qual há muito me libertei), que me espantei tão positivamente com o País.


De início, pelo prospecto de passeios, julguei que uma visita de 40 minutos pelo “Grand Bazaar” (maior e mais antigo mercado coberto do mundo), aos moldes do que era oferecido pelo guia, seria suficiente, ledo engano. Dois dias inteiros (sempre acompanhado de uma caixa de figos secos os quais me apaixonei), foram incapazes de revelar a magnitude do local... isso sem falar sobre os demais pontos turísticos da antiga Constantinopla.


Vencendo o frio, às vezes o cansaço e a fome (sempre aniquilada pelos figos secos), porém cheio de curiosidade diante das surpresas que já havia conhecido, sai em busca de aventuras pelo País e com o desejo de novas descobertas aportei em Afrodisias.



Antigo Teatro



A Antiga cidade grega de Afrodisias está situada junto à atual aldeia de Caria (ou Geyre no seu nome turco), nas imediações do distrito de Nazili pertencente à província costeira de Aydin, na região do Mar Egeu, atual Turquia.


Esta antiga cidade, foi dedicada à Afrodite, a deusa da beleza e do amor na mitologia grega, no século II a. C. e foi um polo rico e importante, conhecido por ser um centro comercial próspero e pela excelência da sua escola de escultores de mármore. Desta cidade saíram estátuas e escultores para todos os cantos do mundo.


A antiga cidade de Afrodisias foi descoberta por sorte. Ara Guler, um dos mais importantes fotojornalistas turcos, visitou a região para tirar fotografias em 1958 e começou então a ser conhecida em todo o mundo, depois de Guler enviar as suas fotos à revista americana Time. Pouco tempo mais tarde, em 1961, começaram as escavações arqueológicas no local, graças ao arqueólogo turco Kenan Erim.


A obra mais maravilhosa do local é a Porta Monumental denominada Tetrapilon. Esta porta está ricamente decorada com belas colunas salomônicas. As obras descobertas nas escavações realizadas por equipas multinacionais compostas por arqueólogos americanos, britânicos e turcos, podem agora ser vistas no Museu a céu aberto de Afrodisias que entrou ao serviço em 1979 e faz parte da lista de Patrimônio Cultural Mundial da Unesco desde 1987, e foi também eleita como uma das 10 melhores cidades antigas do mundo em 2004, por um júri formado por peritos em arqueologia. O local certamente é uma das melhores opções para quem viaja pela Turquia. Fica a dica! Quanto aos figos secos, os quais tanto amava, abandonei a paixão por lá mesmo.



Este colunista defronte ao Tetrapilon, Porta Monumental de Afrodisias




Por David Faria

Para o Jornal @espacohorizonte