top of page
  • Foto do escritorespaco horizonte

Marta Rocha e as duas polegadas




Saudoso que sou de minha terra Pantaneira, muitas vezes os sabores que por lá são comuns, quase impossíveis são de encontrar por outras bandas e foi assim que descobri esta história que agora compartilho: “buscando uma receita de torta, cujo nome é Marta Rocha”.



A deliciosa Torta Marta Rocha



Lá em Campo Grande às quartas, sextas e sábados há uma feira, onde produtos de diversas origens são consumidos: paraguaios, indígenas, bolivianos, japoneses, árabes (todos fazem parte de nossa miscigenação cultural) e lá é um dos locais onde sempre busco a deliciosa Torta Marta Rocha (massa branca, cheio de suspiro e caramelos crocantes, fios de ovos.... enfim, uma delícia), e com saudades fui buscar a receita, já que não encontrei para comer e a saudade do sabor tem me atormentado... foi quando conheci a história de Marta Rocha e as duas polegadas que aqui publico... vamos lá?!


Natural de Salvador, Martha Rocha foi a primeira Miss Brasil eleita para o concurso Miss Universo, realizado no ano de 1954 em Long Beach, na Califórnia. Na competição internacional que contou com 33 participantes, a baiana acabou na segunda colocação, perdendo para a americana Miriam Stevenson.


Como justificativa sobre a derrota, surgiu na época uma lenda de que ela teria perdido por conta de duas polegadas, informação desmentida por Martha anos depois. Com o título quase conquistado, Rocha inspirou tantas outras misses ao longo dos anos e viu a gaúcha Ieda Vargas, em 1963 e a baiana Martha Vasconcellos, em 1968 serem coroadas como Miss Universo.


A bela Marta Rocha




A história das duas polegadas foi uma invenção do jornalista João Martins, da revista O Cruzeiro, do Rio de Janeiro, para consolar o orgulho brasileiro. Tudo foi combinado com os demais jornalistas brasileiros que estavam em Long Beach. A própria Martha autorizou a versão, conforme consta em sua autobiografia. Segundo Martha, nem ela soube se essa história das duas polegadas foi verdade mesmo."Nos Estados Unidos, nunca ninguém me tirou as medidas", disse em sua biografia.


Em dezembro de 2015, o colunista Ancelmo Gois reviveu na coluna Retratos da Vida, de O Gllobo, a história das duas polegadas, relembrando que em 1955 Pedro Caetano, Alcyr Pires Vermelho e Carlos Renato lançaram uma marchinha de Carnaval onde se cantava: “Por duas polegadas a mais, passaram a baiana pra trás/Por duas polegadas, e logo nos quadris/Tem dó, tem dó, seu juiz!”.


Marta Rocha faleceu aos 83 anos, em 4 de julho de 2020. Sua beleza e olhos azuis como águas marinhas ficarão na memória daqueles que a conheceram e seu nome eternizado para as futuras gerações nas inúmeras homenagens que recebeu em vida: A torta, o mármore, e a história “Das duas polegadas”.



Marta Rocha e Miriam Stevenson



Para Refletir


Se eu posso te dar um conselho, eis aqui: Não mendigue atenção de quem quer que seja. Não se esforce para compartilhar minutos com quem está mais interessado em coisas que não te incluem. Não prolongue a conversa apenas para ter o outro por perto, quando você perceber que precisa se esforçar bastante para que o monólogo vire um diálogo.

Esqueça.

Prefira a sua solidão genuína à pseudo presença de qualquer pessoa. Ainda digo mais: Perceba que existem pessoas que curtem dividir a atenção contigo sem que você precise desprender esforço algum. Aproveite o que te dão de livre e espontânea vontade. Dispense o que te dão por força do hábito ou por conveniência. Esqueça o que não querem te dar. Cada um dá o que pode.



Matéria de David Faria para o Jornal @espacohorizonte


Comentarios

Obtuvo 0 de 5 estrellas.
Aún no hay calificaciones

Agrega una calificación
bottom of page