• espaco horizonte

Kk Bicalho, a arte que vem de uma alma pura


Kk Bicalho com algumas participantes da família: uma clipper chamada Berenice

e a Border Collie, Judite.



De uma sensibilidade sensorial, de uma pureza de alma e de uma alegria contagiante, é assim que vejo esta garota que, além de linda por dentro é linda por fora.


Kk Bicalho, artista plástica, mãe de duas crianças lindas, Caetano e Zeca, casada com o Fred, e que, com seu sorriso aberto encanta e contagia quem está por perto, corta e recorta com maestria o papel, com sentimento que vem de dentro do coração.


E o Jornal @espacohorizonte teve a gratificante alegria de ir à sua casa, conhecer sua família e trazer aqui para nossos leitores um pouquinho da essência de nossa artista mineira KK Bicalho.



KK Bicalho



Sempre foi uma menina das artes manuais, que fazia tudo com as mãos, escrevia tudo, anotava tudo, etiquetava tudo e começou a fazer recortes desde nova.







Incentivada por sua mãe, Tania Adélia Bicalho Colares psicóloga, que captou logo, desde muito pequena, a sensibilidade da filha. Deixando-a livre para soltar a imaginação, disponibilizou paredes em casa para desenhos de seus esboços e muito papel de rascunho que trazia do serviço para KK recortar, desenhar e brincar.




E com isto ela foi desabrochando para todos os momentos de sua vida, fazendo tudo com muito esmero e detalhes. Cartinha de namorado, em vez de escrever, ela recortava, todos os trabalhos de escola, sempre eram feitos por KK na parte dos cartazes e das ilustrações.


Pensou em cursar veterinária por amar os bichos, mas sabia no fundo, que iria somente recortar e desenhar os animais cuidados por ela.


Decidiu pelas artes plásticas, mas mesmo antes da faculdade sempre teve um olhar diferenciado para o artístico, vendo o mundo à sua própria maneira.


Sempre muito ligada ao minimalismo, atenta aos contornos, às silhuetas, desde menina, parada em pontos de ônibus, já reparava nas pessoas e esboçava alguns desenhos. Sem perceber, já estudava as formas, os cheios e os vazios.


E nestas brincadeiras visuais foi criando seu próprio caminho de ilustrar a vida, através de suas mãos, registrando o que acontecia a sua volta. E foram nestas brincadeiras de criança, que começou a recortar tudo pequeno para caber nas margens, para caber nos cabeçalhos, para caber nos cadernos e para usar os restinhos dos papéis...


Foi se interessando pelo pequeno, sempre tentando se desafiar. E o desafio, para ela, a encanta e a estimula. O desenhar com a tesoura, arte pioneira, a incentiva a continuar e descobrir.





Ao entrar na UEMG, faculdade de arte, não encontrou esta vertente do recorte dentro do currículo da escola. Se lembra, que foi em uma aula teórica com o Professor Sergio Vaz, que a viu desenhando com a tesoura enquanto assistia a aula, e se interessou pela arte que ela já executava sem saber da verdadeira relevância do que fazia.


Aquilo, não era só o seu hobby e a sua distração, era a revelação de uma grande artista.


Nas aulas de desenho de figura humana ministrada por Sergio Vaz, KK percebeu que já tinha a silhueta de pessoas em sua mente desde pequenina. Em encontros nas aulas, começaram a conversar e investigar em KK Bicalho, o porquê de sua arte recortada, tão pequena e minuciosa.


De onde veio, porque era assim, qual a razão das silhuetas, o por que desta dimensão, o motivo destes vazios e a presença que o vazio tinha em suas obras.




O seu trabalho de graduação em Artes Plásticas, dos formandos especialistas em desenho e gravura em metal, “MINUANCES”, foi criado pensando nas silhuetas, sobre as delicadezas das formas e da construção do recorte tão pequeno, com movimentos delicados e controlados. E desencadeou uma exposição belíssima de sua arte.


E o fruto de suas investigações para a graduação, gerou um livro sobre estas pesquisas e, uma parte muito interessante foi sobre artistas referência. Não encontrou nenhum outro artista que trabalhasse com papel como ela. Os japoneses fazem o kirigami, cortando grandes paisagens com o estilete, uma coisa mais chapada. Encontrou também Regina Silveira, uma artista do Rio de Janeiro trabalhando com grandes silhuetas, o japonês Yuken Teruya que faz recortes de reciclados com estilete e o artista inglês, Stuart Pantoll, conhecido como Slinkachu que utiliza pequenos personagens, que são customizados e inseridos na paisagem urbana, para serem então fotografados por ele mesmo, sendo assim um projeto de arte de rua e de fotografia ao mesmo tempo.


Dentre tantas referências, inovar neste mundo com artistas tão maravilhosos e competentes, para ela é “o desafio, o máximo. Trabalhar com materiais tão essenciais, tão à nossa mão, como papel e tesoura e saber que ninguém fez isto antes, também é uma responsabilidade e um estímulo!”


As imagens que seleciona para seus projetos são temas do cotidiano, situações simples de fácil reconhecimento e que qualquer pessoa pode perceber. Uma observação de uma flor, um guarda-chuva virado, crianças, o dia a dia de sua vida.






Como expor seus trabalhos também foi uma pesquisa com grandes experiências. Onde colocar aquelas miniaturas tão delicadas para serem expostas? Caixas de acrílico, caixas de vidro e que não tivessem elementos que interferissem em suas obras. Chegou nas molduras caixas, com espaçamento interno e que trazem uma tri -dimensionalidade aos seus projetos.








Com sua tesoura vermelha favorita, cheia de dentes, como diz KK, recorta todos os trabalhos sem ter que desenhar no papel para seguir as formas. Atualmente tem trabalhado também com negativos dos desenhos, com uma genialidade incrível.





Uma menina que celebra cada pequena conquista e que em suas pequeninas “MINUANCES” demonstra que é uma gigante no mundo da arte.


Parabéns KK Bicalho

Quero visitar sua exposição no Louvre!!!











Apresento aqui o portfolio de KK Bicalho


@kk.bicalho




Born in Belo Horizonte/MG – Brazil in 1989.

Nascida em 1989, vive e trabalha em Belo Horizonte – MG.

kkbicalho@gmail.com

+55 31 98724-4622


FORMAÇÃO ACADÊMICA


LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO ARTÍSTICA

UEMG – ESCOLA GUIGNARD

CONCLUÍDO EM 2013.


BACHAREL EM ARTES PLÁSTICAS

UEMG – ESCOLA GUIGNARD

CONCUÍDO EM 2010.



EXPOSIÇÕES


2021

20x20. Exposição coletiva realizada no Viaduto das Artes, Belo Horizonte – MG. Realização Libertas Coletivo de Artes. Curadoria Rafael Abreu e Gilberto de Abreu.

MASCARARTE - 3ª e 4ª edição. Exposição coletiva realizada no Ponteio Lar Shopping e na loja Mobília, ambos em Belo Horizonte – MG. Curadoria Marcos Esteves, Paulo Apgáua e Rafael Abreu. Apoio Libertas Coletivo de Arte.


2020

POESIAS RECORTADAS. Teatro de sombras em formato sarau-literário, homenageando a obra de Hilda Hilst. Produção de Janine Avelar. Edital Memorial Minas Gerais Vale.

DIORAMAS LITERÁRIOS – Modernos Eternos. Exposição coletiva realizada no Ponteio Lar Shopping, Belo Horizonte – MG. Curadoria Marcos Esteves. Apoio Modernos Eternos.

PLANETA ILUSTRAÇÃO – III Edição. Exposição coletiva realizada virtualmente pela Universidade do Papel. Curadoria Enrique Rodriguez.


VIRTUAL LIBERTAS. Exposição coletiva realizada virtualmente pelo Libertas Coletivo de Artes. Curadoria Ana Maria Pereira Guimarães e Cely Ferreira.

MEUS CONTOS RECORTADOS. Exposição individual retrospectiva 2010 – 2020 realizada na loja Patrícia de Deus, Belo Horizonte – MG.


2019

40x40. Exposição coletiva realizada na Galeria Mama/Cadela, Belo Horizonte – MG. Curadoria Sérgio Vaz e Gustavo Maia.

CONVIDADOS. Exposição coletiva realizada na Galeria Gilda Queiroz, Belo Horizonte – MG. Curadoria Luís Alberto Barbosa. Produção Manoel Hagen.


57x70x70. Exposição coletiva realizada na Galeria Gilda Queiroz, Belo Horizonte – MG em parceria com o BH Design Festival. Curadoria Du Flausino, Lisianny Marinho, Lucilene Bredoff, Marcos Esteves, Rafael Abreu e Celina Lage.

CONTOS RECORTADOS. Exposição individual realizada na Galeria de Arte do Minas Tênis Clube II, Belo Horizonte – MG.


2018

MOSTRA ARTE MANIFESTO. Exposição coletiva realizada no Jardim Interno do Palácio das Artes e Teatro João Ceschiatti , Belo Horizonte – MG, realização CEFART - Centro de Formação Artística e Tecnológica.

ONCOTÔ PRONCOVÔ. Exposição individual realizada na Galeria Georges Vincent, Aliança Francesa, Belo Horizonte – MG.

ATELIÊS, PINTURA COLETIVA, ARTE PLURAL. Exposição coletiva realizada na Galeria de Arte Paulo Campos Guimarães da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais, Belo Horizonte – MG. Curadoria Iara Abreu.


2017

PATRIMÔNIO[S]. Exposição coletiva realizada no Museu Casa Kubitschek, Belo Horizonte – MG, com o apoio da Prefeitura de Belo Horizonte.

CORPO ESTRANHO. Exposição coletiva realizada no Viaduto das Artes, Belo Horizonte – MG, com o apoio da Escola Guignard. Curadoria Sérgio Vaz.

RIZOMA. Exposição coletiva realizada na Secretaria de Cultura de Pelotas – RS. Em parceria com a Prefeitura de Pelotas.

A MODA E OS CÓDIGOS DE VESTIMENTA. Exposição coletiva realizada no MuMo - Museu da Moda, Belo Horizonte – MG.

CONTOS DAQUI PRA LÁ. Exposição individual realizada na Casa de Gonzaga, Ouro Preto – MG, com o apoio da PMOP / FAOP.

CORTAR, CONTAR. CONTO O QUE RECORTEI DO CONTO. Exposição individual realizada na Galeria Georges Vincent, Aliança Francesa, Belo Horizonte – MG.


MINUANCES. Exposição individual realizada no Colégio Loyola, Belo Horizonte – MG.

PATRIMÔNIO[S]. Exposição coletiva realizada na Aliança Francesa, Belo Horizonte – MG.


2016

BRINQUEDOS ÓRFÃOS. Exposição na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em Belo Horizonte – MG. Em parceria com a Polícia Civil e o Instituto Paz no Trânsito.


2012

INSPIRAÇÕES EM GUIGNARD. Exposição coletiva realizada no CAC Cabeceiras, em Nova Lima – MG.

COLETIVO ARTE II. Exposição coletiva realizada em Nova Lima – MG, sob curadoria de Madalena Duarte.

COLETIVO ARTE I. Exposição coletiva realizada na Câmara dos Vereadores, em Divinópolis/MG, sob curadoria de Raíssa Russo.


2011

CRÔNICAS URBANAS. Exposição coletiva realizada na galeria Anna Maria Niemeyer, no Rio de Janeiro/RJ, sob curadoria de Marco Túlio Resende e Isaura Pena.


2010

BIENAL ZERO. Exposição coletiva realizada em parceria entre UFMG e UEMG, realizada em Belo Horizonte/MG.

CULTURA E ATIVISMO: JUVENTUDE E PENSAMENTO. Exposição coletiva realizada no Espaço Cultural Cine Belas Artes, em Belo Horizonte/MG.

EXPERYMENTAL. Exposição coletiva realizada na Galeria do Espaço Cultural 104, em Belo Horizonte/MG. Curadoria de Marco Túlio Resende e Ana Cristina Brandão.




Premiações, cursos e seminários


2017

Curso “Teatro Lambe-Lambe”, com atores do grupo Girino de Teatro de Bonecos, em Belo Horizonte/MG.

Curso “Formação de Educadores Populares Paulo Freire – módulo II”, com Daniel Figueiredo (ex-coordenador da área de Educação Popular do Instituto Paulo Freire/SP), em Belo Horizonte/MG.

Curso “Formação de Educadores Populares Paulo Freire – módulo I”, com Daniel Figueiredo (ex-coordenador da área de Educação Popular do Instituto Paulo Freire/SP), em Belo Horizonte/MG.

Workshop “A Primeira Infância, o brincar e estruturação psíquica”, com Pollyanna Xavier (Aldeia Jabuticaba/BH), realizado no SESC Palladium, Belo Horizonte/MG.


2012

Seminário “Arte, Educação e Juventude na Prática”, realizado pela AIC.

Seminário “Educação Inclusiva: Sujeito de Desejo, de Direito e de Deveres”, realizado pela Escola Guignard/UEMG.

Seminário “Mediação e Arte no Contexto Socioeducativo”, promovido pela PROEX/UEMG.

XXVIII Fórum Família Escola, realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Educação.


2009

Curso complementar “Desenho – observação, objeto e criação”, ministrado pelo artista Plástico Sérgio Vaz, realizado em Belo Horizonte.


2008

Premiada na Mostra de Pequenos Formatos - UEMG, como destaque na categoria Desenho.


TRABALHOS EM COLEÇÕES


Coleção Gilberto Chateaubriand - MAM/RJ - Brasil.

Coleção particular Eny Rocha Maia Gresta - BH/MG - Brasil.

Coleção particular Watt Watanga Nsanda e Fabienne Gerembi Jasenzya - Cidade do Cabo/África do Sul - África.

Coleção particular Raquel Mattar de Faria - BH/MG - Brasil.

Coleção particular Tracy Cadell - Seattle/WA – Estados Unidos.