• espaco horizonte

Campos do Jordão, arquitetura alemã e clima europeu no Brasil



Situada nos picos verdes da Serra da Mantiqueira, cidade de personalidade própria, com 1. 628 metros de altitude. É considerada a cidade mais alta do Brasil considerando a altitude do mar.


Constantemente visitada por turistas de todo o Brasil e do exterior, que vão para conhecer a cidade e se encantar com a arquitetura alemã e o clima de inverno.


A estrada para Campos do Jordão é uma estrada sinuosa, turística, com belos mirantes na região do Vale do Paraíba e Serra da Mantiqueira.



Existem inúmeras atividades ao ar livre para turistas e residentes de inverno. Isso inclui caminhadas, escaladas, balanços de cabo nas copas das árvores (arborismo), cavalgadas e passeios de quadriciclo e motocicleta. Julho, período de férias de inverno, vê um enorme afluxo de visitantes (mais do que quadruplicando a população da cidade), em parte devido ao festival de música clássica de inverno.


É uma base confortável para explorar os picos próximos, que abrigam algumas das últimas florestas virgens de araucárias (pinheiros do Paraná) e oferecem vistas espetaculares do vale do Paraíba.





Suas atrações ao longo do ano incluem restaurantes de cozinha alemã, suíça e italiana, bares e um teleférico. Existem muitas pousadas e chalés. Além disso, para atender ao grande número de visitantes, diversos bares, salões, discotecas e clubes abrem durante os meses de inverno.



Teleférico



Arborismo



Restaurantes típicos






UM POUCO DA HISTÓRIA



A partir do final do século XIX, a região adquiriu a fama de ser um local indicado para o tratamento de doenças do pulmão, devido a seu excelente clima. Nas décadas de 1920 e 1930, começaram a ser construídos os primeiros sanatórios, dedicados ao tratamento de doenças pulmonares. Em 1934, Campos do Jordão emancipou-se de São Bento do Sapucaí.

Com a inauguração da Estrada de Ferro Campos do Jordão em 1914, graças ao empenho dos médicos sanitaristas Emilio Ribas e Victor Godinho, foi possível o acesso ao alto da Serra para tratamento da tuberculose, o que até então era feito somente a pé, a cavalo ou a bordo das liteiras e banguês.


A partir da década de 1950, o avanço da medicina fez com que a tuberculose deixasse de ser uma doença tão perigosa. Com o desenvolvimento da penicilina, a partir da década de 1960 o tratamento contra a tuberculose passou a ser facilitado, o que permitiu a Campos do Jordão investir naquela quem seria sua natural vocação: o turismo.


A inauguração do Palácio Boa Vista, em 1964, e do Festival de Inverno de Música Clássica, em 1970, a cidade passou a ser considerada referência no turismo de inverno no Brasil, posição que mantém até hoje, graças à sua cultura, gastronomia, tradição hospitaleira e suas incomparáveis belezas naturais, além do clima, considerado o melhor do mundo no Congresso de Climatologia de Paris, em 1957.




CLIMA


Seu clima é tropical de altitude, com verões amenos e invernos frios. Embora a análise dos dados referentes às temperaturas no período de 1965 à 1974, os quais pode-se afirmar que o clima de montanha de Campos do Jordão é do tipo tropical temperado, não apresentando nebulosidade úmida, ventos constantes ou chuvas excessivas, o que torna baixa a probabilidade de nevar, apesar de situada em altitude elevada, a ocorrência de neve é rara devido ao clima seco do inverno, porém, alguns registros apontam que nos anos de 1892, 1897, 1928 ,1942, 1947 e 1966, 2004 ocorreram o fenômeno de nevar em Campos do Jordão.

As geadas são comuns durante o inverno e a temperatura mínima absoluta era de -7,3 ° C em 1º de junho de 1979. Seu clima temperado favorece a criação de hortênsias, mais especificamente do tipo Hydrangea macrophylla.



As maravilhosas hortênsias que florescem por toda a cidade




LENA BRANDÃO EM CAMPOS DO JORDÃO

Lena Brandão em seu chalé alemão



Nossa querida jornalista Lena Brandão, que possui um chalé alemão nesta cidade de características europeias, foi a primeira moradora do Bairro Descansópolis, no ponto mais alto da montanha. O condomínio se chama Villa Chantal e o clima europeu, sempre muito frio, registra dois graus de dia e à noite, quatro abaixo de zero.




Lena, uma anfitriã perfeita, recebe em seu chalé em Campos do Jordão com toda pompa e maestria. Sempre rodeada de amigos queridos mostra todos os pontos turísticos da cidade e leva seus convidados aos típicos restaurantes do local.



Cristina Medioli e Lena Brandão


Cristina Medioli e Lena Brandão em um restaurante italiano



Os noivos Adônis Valias e Luiza Medioli


Uma cidade acolhedora situada no sudeste brasileiro, município de São Paulo, sempre de braços abertos para acolher os turistas que procuram por um descanso diferenciado em um clima europeu.



Araucária, um dos símbolos da cidade de Campos do Jordão








Agradecendo, ilustro esta matéria com algumas fotos que nos foi enviada pela jornalista Lena Brandão.