top of page
  • Foto do escritorespaco horizonte

Oftalmologista alerta para acidentes oculares domésticos




Os acidentes oculares podem trazer danos permanentes para a visão, e embora as crianças sejam seu principal alvo, todos estão sujeitos a esses riscos. É sobretudo nos momentos de distração, durante o lazer, que as situações de perigo tendem a ocorrer. Contudo é possível prevenir muitos desses episódios buscando informação com o seu oftalmologista e adotando medidas de segurança, como usar óculos de proteção ao realizar atividades que coloquem os olhos em risco e armazenar produtos químicos longe do alcance das crianças.

Dr. Leonardo Coelho Gontijo, oftalmologista do Instituto de Olhos Minas Gerais (IOMG), especialista em córnea, catarata e cirurgia refrativa destaca os acidentes oculares mais frequentes e de que forma podem afetar os olhos. “Em caso de lesão ocular, busque atendimento médico imediatamente ”, orienta.



Dr. Leonardo Coelho Gontijo


• Corpos estranhos: Objetos estranhos, como partículas de poeira, cacos de vidro ou lascas de madeira, podem entrar no olho e causar irritação, lesões superficiais, como arranhões, e até mesmo perfurações ou infecções. Frequentemente o corpo estranho fica preso na parte de trás da pálpebra, gerando uma lesão contínua até à sua remoção.

• Produtos químicos: Podem resultar em lesões seríssimas. Produtos de limpeza ou corrosivos, como ácidos e alcalinos, podem causar queimaduras se entrarem em contato com os olhos. O paciente precisa fazer lavagem exaustiva imediatamente para suspender a agressão e procurar o serviço de urgência. Até mesmo alguns produtos para o cabelo podem afetar a superfície ocular ao molhar e escorrer em direção aos olhos. Tais agressões químicas podem lesar as células do limbo, que são responsáveis pela regeneração/cicatrização ocular. A perda dessa função é gravíssima.

• Cola de cianoacrilato: É mais comum do que imaginamos. Gera o fechamento doloroso das pálpebras, algumas vezes dos dois olhos. Exige muitas manobras cuidadosas para a sua remoção sem causar dano adicional.

• Lesões térmicas: Exposição a altas temperaturas, como vapor ou líquidos quentes, acidente de contato direto com babyliss podem comprometer a transparência corneana.

• Trauma físico: Lesões oculares que podem ocorrer devido a quedas, pancadas ou impactos. Esportes de contato e brincadeiras que envolvem objetos pontiagudos, ou acidente com plantas pontiagudas, também podem causar lesões oculares, perfuração ou infecção.

• Lesões por solda: Exposição excessiva ao ultravioleta emitido pelo aparelho de solda sem a proteção adequada gera um ardor intenso noturno (horas após o uso do instrumento). Requer atenção e tratamento correto.



Matéria publicada no Jornal Espaço Horizonte

Fonte: Infinita Comunicação



Comments


bottom of page