01 - CAPA 00.jpg

jornal

espaço

horizonte

adriana.jpg
  • espaco horizonte

O Coliseu de Roma abre os túneis subterrâneos pela primeira vez


Foto: Sandrinha Coelho



Pela primeira vez em 2.000 anos, o Coliseu de Roma abriu para os visitantes túneis e câmaras subterrâneas, onde gladiadores e animais selvagens se preparavam para a batalha.


Os turistas agora poderão percorrer os corredores sobre uma plataforma de madeira e admirar os corredores e arcadas que interligam os hipogeus - níveis subterrâneos - entre as salas onde os gladiadores e animais esperavam, antes de entrar nos elevadores que os catapultariam para a Arena.


Foto: RomArchable


Espalhado por 15.000 metros quadrados, o hipogeu do monumento de 2.000 anos está aberto ao público após a conclusão de um projeto de restauração financiado pela casa de moda italiana Tod's.


Falando na cerimonia de inauguração, Alfonsina Russo, diretora do Parque Arqueológico do Coliseu, disse que as obras vão permitir compreender melhor como funcionava o Coliseu. Alfonsina informou que o hipogeu, originalmente escavado no século 19, era a verdadeira “história de fundo” do anfiteatro. Ela acrescentou ainda que o que emergiu do projeto de restauração é que o hipogeu tinha uma história de 400 anos, desde quando o anfiteatro foi inaugurado em 80 dC até o show final em 523.


Alfonsina Russo disse que os 15 corredores restaurados contaram vestígios da história deixados ao longo do tempo. Em uma declaração separada, Diego Della Valle, presidente da Tod's, disse que mais de 80 arqueólogos, arquitetos e engenheiros estiveram envolvidos no projeto de dois anos para "trazer de volta ao centro das atenções um monumento que o mundo inteiro ama". É importante notar que a abertura da seção subterrânea marca o fim do projeto de restauração casa de moda italiana Tod's, porém, não é o fim das obras do Coliseu.



Foto: @wantedinrome


A restauração do hipogeu é a segunda parte de um projeto de três fases no Coliseu que começou há oito anos e pelo qual a Tod’s pagou um total de € 25 milhões.


Segundo relatos, a primeira fase se concentrou na limpeza da fachada do Coliseu. A parte final, com conclusão prevista para 2024, envolverá a restauração das galerias e do sistema de iluminação, bem como a adição de um novo centro de visitantes.



Foto divulgação


Enquanto isso, um projeto para restaurar o chão do Coliseu à sua antiga glória está previsto para ser concluído em 2023. O novo estágio de alta tecnologia será capaz de cobrir ou descobrir rapidamente as redes subterrâneas, permitindo que sejam protegidas da chuva ou para ser ventilado.


O Coliseu foi o maior anfiteatro do Império Romano. Lutas de gladiadores e outros espetáculos públicos foram hospedados na frente de uma multidão de pelo menos 50.000 pessoas. O monumento continua sendo um dos marcos mais famosos da Itália.



Foto: RomArchable