top of page
  • Foto do escritorespaco horizonte

Crescimento robusto do volume de serviços em Minas Gerais


Crescimento robusto do volume de serviços em Minas Gerais
Crescimento robusto do volume de serviços em Minas Gerais

O volume de serviço registra avanço de 3,2% no mês de abril.


O volume de serviços em abril avança 3,2% em relação a março no estado de Minas Gerais. O desempenho do mês foi o mais intenso desde o início da série histórica. Já o indicador de volume de serviços no Brasil registrou um avanço de 0,5%, o mais intenso desde abril de 2021, quando o indicador avançou 2,4%. As atividades “outros serviços” e “transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio” registraram os desempenhos mais elevados, respectivamente de 5,0% e 1,7%.


O desempenho anual do indicador, abril do ano corrente frente a abril do último ano, avançou 9,0% em Minas. A evolução foi mais intensa do que o observado no mesmo período de 2023, quando o avanço foi de 7,2%. Nessa base de comparação, quatro das cinco atividades registraram avanço e contribuíram para o elevado desempenho do indicador, pois juntas somam 93,06% do peso do indicador. Os desempenhos das atividades foram: serviços de informação e comunicação (15,2%), transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (11,6%), serviços prestados às famílias (7,9%), serviços profissionais, administrativos e complementares (1,5%) e outros serviços (-2,4%).


Para Gilson Machado, economista da Fecomércio MG, o desempenho do volume de serviços reflete a situação atual, com programas de transferência de rendas e negociação de dívidas acontecendo, taxa básica de juros menos intensa que no mesmo período do último ano e um mercado de trabalho aquecido, o que resulta em mais dinheiro em circulação. Esses fatores vêm corroborando para o bom desempenho do indicador.


No indicador do Brasil para essa mesma base, o desempenho foi elevado, porém menos intenso que o de Minas Gerais. Com aceleração de 5,6%, o desempenho supera o mesmo período do último ano, quando registrou crescimento de 2,7%.  No contexto nacional, todas as atividades registraram avanço: outros serviços (10,2%), serviços de informação e comunicação (7,7%), serviços profissionais, administrativos e complementares (6,0%), transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (3,4%) e serviços prestados às famílias (3,1%).


A aceleração do indicador no acumulado do ano, de janeiro a abril, foi de 5,6% no estado mineiro. O indicador registrou um desempenho menos intenso que o observado no mesmo período do último ano, quando avançou 8,6%. As atividades de serviços de informação e comunicação (16,0%), serviços prestados às famílias (8,0%) e transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (6,3%), que juntas possuem quase 70,0% do peso contribuíram para o bom desempenho do estado. Em contraste, as atividades de outros serviços (-9,0%) e serviços profissionais, administrativos e complementares (-3,1%), desaceleraram no período.


Já o desempenho no período para o Brasil foi de 2,3%, avanço menos intenso que o observado nos quatro primeiros meses do último ano (4,8%), similar ao contexto estadual. Quase todas as atividades registraram avanço na esfera nacional. O desempenho das atividades foram: serviços de informação e comunicação (5,7%), serviços prestados às famílias (4,9%), serviços profissionais, administrativos e complementares (3,7%), outros serviços (3,5%) e transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-1,8%).


O volume de serviços no acumulado de 12 meses, de maio de 2023 a abril de 2024, registrou um avanço de 7,0% no período. O desempenho do período reflete o incremento em quase todas as atividades, que juntas somam 93,06% do peso do indicador. O comportamento das atividades seguiu a seguinte dinâmica: serviços de informação e comunicação (15,2%), transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (7,1%), serviços prestados às famílias (6,2%), serviços profissionais, administrativos e complementares (3,6%) e outros serviços (-8,6%).


No Brasil, o indicador no acumulado 12 meses registrou um crescimento mais brando, de 1,6%. Em relação ao estado mineiro, o avanço teve menor intensidade, 5,4 pontos percentuais a menos. Para o período, o desempenho das atividades foi mais dividido, com apenas três das cinco atividades registrando avanço: serviços prestados às famílias (4,3%), serviços de informação e comunicação (3,7%), transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (3,3%). Já as outras atividades desaceleraram no período: outros serviços (-0,7%) e transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-0,6%).


“O bom desempenho do setor de serviços é devido à melhora do ambiente econômico em relação ao último ano. Contudo, é necessária certa cautela com o desempenho para os próximos meses. A situação inflacionária do país tende a frear a desaceleração da taxa básica de juros. Além disso, o Brasil está lindando com a preocupação fiscal e a tragédia ambiental do Rio Grande do Sul, que trará reflexos no indicador para o próximo mês. Esses são alguns fatores que tendem a mitigar o desempenho do setor de serviços,” destaca Machado.


Sobre a Fecomércio MG


A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Minas Gerais integra o Sistema Fecomércio MG, Sesc e Senac em Minas e Sindicatos Empresariais que tem como presidente o empresário Nadim Donato. A Fecomércio MG é a maior representante do setor terciário no estado, atuando em prol de mais de 740 mil empresas mineiras. Em conjunto com a Confederação Nacional do Comércio (CNC), presidida por José Roberto Tadros, a Fecomércio MG atua junto às esferas pública e privada para defender os interesses do setor de Bens, Serviços e Turismo a fim de requisitar melhores condições tributárias, celebrar convenções coletivas de trabalho, disponibilizar benefícios visando o desenvolvimento do comércio no estado e muito mais.

Há 85 anos, fortalecendo e defendendo o setor, beneficiando e transformando a vida dos cidadãos.    

Commentaires

Noté 0 étoile sur 5.
Pas encore de note

Ajouter une note
bottom of page