• espaco horizonte

Audrê Lisboa - Uma artista de traços fortes




Para terminar com arte este mês de março, o Jornal @espacohorizonte vai falar de uma artista fantástica que exprime sua arte em traços fortes que conseguem tocar nosso consciente com pensamentos e sensações diferentes.


Vamos falar de Audrê Lisboa Coda Dias.


Nascida em Belo Horizonte é casada, mãe de quatros filhos e avó.


Sua vivência foi no bairro Cachoeirinha, onde, perto de sua casa iniciou as suas primeiras aulas de pintura, descobrindo-se. A vida, no entanto, tinha outros planos, sua dedicação foi em outras atividades profissionais, mas sua vocação se manteve intacta.


Foi, somente, em 2008, quase 30 anos depois daquele ateliê, que Audrê conseguiu empenhar-se integralmente na área artística, experimentando novas técnicas para desenvolver suas criações na arte visual e até em formas poéticas.


A artista preza a liberdade ao exprimir as formas figurativas ou abstratas na produção de seu trabalho. Uma arte reflexiva com a presença forte da figura feminina, do espiritual, do ambiente e do mundo concreto.





Também, a composição corrobora para esta meditação, do jogo geométrico, dos traços, das linhas, dentre outras formas contidas na sua arte.


Outras características acentuadas, como, o claro e o escuro, a representação do feminino, a vida e a morte, o subjetivo e o objetivo, além da inspiração.


Assim Audrê, expõe sua arte de uma maneira única, inspirada em sua própria natureza.




.



Arte Criativa


Para expressar suas criações, a artista ampara nas aventuras e nos desafios cruzados em sua vida.


Uma existência de desbravar o desconhecido, conduzindo-a a projetar em sua obra um mundo que não é visto, que não é tocado e que não é explorado, mas, é sentido por ela.


Nos seus trabalhos Audrê, representa este espaço, “trouxe de lá”, título de um dos seus desenhos, o universo das ideias, interligado com o místico, com o mito e com o espiritual, na eterna busca do seu Eu.


Em sua arte criativa traz também a objetividade mesclada com a subjetividade, provinda de suas experiências. Uma vivência afortunada de caminhos variados e distantes de uma rotina comum.


Nesse invólucro a artista agrega a sua memória, de uma convivência com culturas e ambientes diversos.


Dessa forma, vai criando traços, tão particulares e livres, em que expõe sua sensibilidade, seu olhar profundo para uma das necessidades humanas.


O Jornal @espaçohorizonte teve acesso a várias coleções de arte de Audrê e vai exibi-las aqui para nossos leitores com exclusividade.





Temas: Mistério, Grito, Morte

Bruxaria, Inexplicável a Espiritualidade

Nanquim, Lápis (preto e cor), aguada com pó de café e carvão











Temas

Poder, Ironia, Medo, Inconsciente

Técnica mista








Relativo ao Corpo

Colagem, Guache, Pastel










Desenhos criativos e cópia de fotos

Temas: Ambientes e Objetos

(memória, momentos)

Nanquim, Guache, Pastel Óleo







Objetos Criativos

Temas: História, Memória e Mistério

Lápis, Caneta de cor e Giz Pastel

Objetos Criativos

Temas: História, Memória e Mistério

Lápis, Caneta de cor e Giz Pastel











Objetos de Observação

Aquarela Lápis de Cor e Nanquim

Série de Ovos com carvão, pastel, lápis

e caneta preta







Desenhos criativos 2015

Temas: Experiências Vividas

Técnica pastel